– 18 – Páginas Amarelas

Encontraram-se às 9h00 da manhã, tinham uma vaga ideia de que era a essa hora que as empresas se reuniam para começar a trabalhar.

Uns bons quinze minutos antes, Rita Pereira, a primeira contratação da recém criada Bits & Bytes, já aguardava à porta do nº 36 da Rua da Guiné.

Era o seu primeiro dia como assistente de direcção, responsável administrativa, recursos humanos, limpezas e afins e não gostava de chegar atrasada. Aliás, era o primeiro dia para a Bits & Bytes também.

Miguel e Pedro, o programador, chegaram uns cinco minutos antes da hora marcada. Juntos inauguraram a entrada oficial, colocando o pé direito na sub-cave esquerda daquela rua tão íngreme quanto a sua ambição.

José chegou quinze minutos depois. Os horários matinais eram estreias absolutas no passado recente da sua vida e, ao contrário do que os seus sócios ou mesmo Rita pudessem pensar, estar ali àquela hora era um sinal de enorme respeito para com eles. 

Assim que os três visionários se juntaram na sala de reuniões, que era simultaneamente sala da direcção, recepção e gabinete de trabalho, Rita, depois de esperar mais de uma hora sem saber muito bem o que fazer perguntou:

– Desculpem, mas gostava de saber o que é que devo fazer?

A pergunta por mais óbvia que pudesse parecer, deixou as três almas na sua frente estupefactas, pois na verdade não tinham ideia do que era esperado de uma secretária, assistente, tradutora e também responsável de recursos humanos. Fez-se silêncio.

– Bom, já temos um escritório, temos secretárias e dois computadores, um livro a explicar como é que se constrói sites de internet, portanto agora precisamos de clientes.

Pedro, por ser aquele que originalmente tinha pensado na ideia de criar a empresa, marcava o ritmo dos acontecimentos, os olhares dos restantes ficaram suspensos à espera do comentário seguinte.

Infelizmente para além do tio que trabalhava numa agência de viagens e do seu clube de futebol favorito que não tinha sequer computadores, Pedro não tinha muito mais ideias em mente.

Fez-se novamente silêncio.

– E eu o que é que faço?

Rita voltava a insistir, começava a perceber que as pessoas à sua volta tinham pouca ou nenhuma ideia do que fazer, ainda estava a tempo de ir até ao centro de emprego naquela manhã.

– Tive uma ideia. Começou por dizer José.

Pegando com uma mão no volume de papel de quase três quilos de umas páginas amarelas deixadas por quem tinha vindo instalar o telefone fixo, apontou com a outra mão para a Porta da rua.

– Rita, vais começar a fazer telefonemas desde o topo da página até ao seu final, ok?

– Perguntas se a empresa tem página de internet e tentas agendar um reunião de apresentação.

Pedro e Miguel, metódicos e aplicados recém licenciados em engenharia informática, não conseguiram esboçar qualquer reacção porque ficaram na dúvida entre rir na sua cara ou confirmar com o olhar a sugestão.

– Outra pergunta.

Rita parecia concentradíssima e indiferente às indecisões.

– Porque letra devo começar os telefonemas?

Miguel e Pedro olharam ordenadamente na mesma direcção, a cara de José, a única possível face ao inusitado da situação. Aquele que inicialmente parecia poder contribuir com alguns conhecimentos de design e marketing, revelava-se uma surpresa estratégica.

– Pelo J Rita, começamos pelo J. Agora vamos tomar um café.

A assistente da direcção, responsável administrativa, recursos humanos, limpezas e afins sentou-se na sua secretária que também era recepção para começar diligentemente as suas tarefas. 

Os três sócios atravessaram a rua até ao snack-bar A gruta que àquela hora da manhã já teria o Record* e a Bola** disponíveis para leitura em cima da bancada.

Estava lançada a Bites & Bytes, o projecto mais improvável que alguma vez na vida José tinha pensado em participar, mas que abriria janelas por onde nunca antes se atreveria sequer a espreitar.

* Record is a Portuguese sports newspaper, founded by Manuel Dias published in Lisbon. Although it covers most sports, football is the focal point of it, and almost always is the only sport referred to on the cover. It is generally seen as appealing to supporters of Sporting CP** A Bola (English: "The Ball") is a Portuguese sports newspaper, published in Lisbon. It was founded in 1945 by Cândido de Oliveira and Ribeiro dos Reis, and was then published twice a week. It became a daily newspaper in 1995. Although its subtitle is "newspaper of all sports," its content is mainly about football. It is generally seen as appealing to supporters of Sport Lisboa e Benfica

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s